Campeões

12-1060x594.jpg«“Só vou no dia 11, e vou ser recebido em festa.” Fernando Santos disse e cumpriu. Estão a chegar  os campeões europeus. Voltam no avião com o nome de um dos grandes. É Eusébio que traz para Portugal os 23 escolhidos para nos representar. Doze anos depois, a história tem um final diferente. A sorte que nos costuma falhar esteve connosco. Aos 108 minutos Éder decidiu o jogo e deu-nos a vitória. Assumiu que Cristiano  Ronaldo lhe segredou que ia marcar o golo. E marcou. O capitão saiu aos 25 minutos a chorar. Não era assim que tinha sonhado ser campeão. Mas voltou para chorar de alegria. Que se aproveite o momento para fazer das fraquezas, grandeza. Que se perceba que o importante é acreditar. Que se continue a ser um país de poetas. Aquela borboleta só podia ser nossa. Parabéns.» Cristina Ferreira

Foto-Kai-Pfaffenbach_Reuters

10665382_727818527299954_5566185017636837218_n“Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E, então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome: auto-estima. Quando me amei de verdade, pude perceber que a minha angústia, o meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou a ir contra as minhas verdades. Hoje sei que isso é: autenticidade. Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de: amadurecimento. Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é: respeito. Quando me amei de verdade, desisti de ficar a reviver o passado e de me preocupar com o futuro. Agora, mantenho-me no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é: plenitude. Quando me amei de verdade, percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela torna-se uma grande e valiosa aliada. Tudo isso é saber viver. Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas chocam e do caos nascem as estrelas.”